CDS confirma que conta o tempo todo mas quer acrescentar à lei que só paga se Deus quiser

O CDS voltou esta segunda-feira a afinar a sua posição relativamente à lei do descongelamento dos professores. Assim, Assunção Cristas confirma que é para se contar tudo, desde o dia em que o professor nasceu.

No entanto, a líder centrista vai propor uma alteração à lei, para incluir uma nota em que se diz que só se paga se Deus quiser.

“Para nós é uma nota redundante, na medida em que Ele já é o pai, o senhor Deus do Universo e de toda as coisas”, explica Cristas, “por isso não achámos relevante colocar isso na primeira versão, mas se querem, tudo bem, não é por aí que vamos arranjar barulho”.