ÚLTIMOS ARTIGOS

Moedas tomou posse e já há novos tempos em Lisboa: 1 hora passa a ter 120 minutos

O vencedor das autárquicas em Lisboa tomou posse esta segunda-feira e esta terça já há novos tempos na capital.

Assim, 1 hora passa agora a ter 120 minutos, o que vai permitir, desde logo, reduzir em muito os tempos de espera.

“Não podíamos continuar aqui com horas de 60 minutos”, afirmou Carlos Moedas, “lá em Bruxelas as minhas horas já tinham 240 minutos, mas vamos com calma porque vocês aqui ainda não têm tanta pedalada”.

No entanto, o objectivo da autarquia é mesmo esse, chegar ao fim do mandato com as horas a valerem 240 minutos. Minutos esses que podem vir também a ter 120 segundos .

“Como dizia Simplício Rolex, ‘o tempo é o tempo que damos ao tempo'”, acrescentou o autarca.

Deixou espirrar combustível para os sapatos, que agora vão a leilão

Um indivíduo deixou espirrar combustível, esta terça-feira, para os sapatos. “A mangueira não disparou, a conclusão, saltou um pouco de combustível para os sapatos”, explica Simplício, junto ao seu calçado, exposto agora numa redoma.

O leilão ocorrerá na próxima quinta-feira e a base de licitação está fixada nos 250 mil euros.

“Mas acreditamos que irá muito mais longe, porque ainda foi uma boa porção de combustível, é combustível aditivado e entranhou bastante bem, sendo por isso um exemplar único”, garante Simplícia Cabral, da Cabral Mocada.

Recorde-se que este par havia custado ao indivíduo, há cerca de 1 ano, 55 euros. “Até já estavam a abrir à frente, por acaso até calhou bem”, conclui.

Governo levou boneca para as negociações: Orçamento vai ser aprovado com o voto favorável de todos os partidos

Está para já afastado qualquer cenário de crise política. Os partidos acabam todos de anunciar que vão aprovar aqueles que lhes parece ser “o melhor orçamento da história da democracia e não só”.

“Nem sei como não vi logo a grandeza deste orçamento, quero apresentar as minhas desculpas não só ao Partido Socialista mas também aos portugueses”, afirmou o líder da Iniciativa Liberal, há instantes, no Parlamento.

Em causa, para esta mudança de opinião dos partidos, pode estar a boneca Cabrita, uma figura bastante assustadora, que o primeiro-ministro poderá ter feito chegar ao Parlamento.

“Eu lá tenho medo de bonecas, portanto, era o que faltava”, garantia Jerónimo de Sousa, antes de dar com a boneca Cabrita. “Portanto, o PCP vai aprovar este orçamento porque isto não podemos estar neste impasse”, afirmou pouco depois.

Entretanto, António Costa explica que teve de recorrer a este método porque estava farto deste macaquinho do chinês orçamental. “Se queriam jogar, muito bem, fomos a jogo”, conclui.

Vai de Lisboa ao Porto em marcha-atrás para não gastar combustível

Um indivíduo percorreu hoje toda a A1 entre Lisboa e o Porto em marcha-atrás, tudo para não gastar combustível.

“Desculpe, mas é que ainda estou com o zumbido na cabeça, porque o carro à ré assobia”, desabafava Simplício, já no Porto, antes de conseguir explicar o sucedido.

Recorde-se que o indivíduo não foi em contramão, foi na via correcta, mas em marcha-atrás, não tendo nunca excedido o limite de velocidade. “A segurança em primeiro lugar”, garante o próprio.

No entanto, à chegada ao Porto, Simplício constatou que tinha gasto ainda mais combustível. Perante tal facto, o indivíduo meteu-se novamente em marcha-atrás até Lisboa, para voltar para o Porto agora a direito, uma vez que é indiferente.

É o tema mais escolhido: Sem task force nem guerra em curso, vice-almirante está a fazer festas para crianças

Numa altura em que não é preciso uma task force nem está qualquer guerra em curso, o vice-almirante Gouveia e Melo ficou sem qualquer tarefa à altura.

Entretanto, muitas crianças têm escolhido o vice-almirante como tema da sua festa de aniversário, o que levou alguns pais a contactarem a Armada.

“Vacinar milhões em poucos meses, sim senhor, uma batalha naval, ok, mas festas para crianças não sou capaz”, terá dito Gouveia e Melo, numa primeira ocasião, mas lá ganhou coragem.

Só este sábado, o vice-almirante vai aparecer em oito festas, um pouco por todo o país.

“Vice-almirante Gouveia e Melo!”, acabou de ser surpreendido o pequeno Simplício.

Com descida de 2 cêntimos na gasolina e 1 cêntimo no gasóleo, portugueses estão a aproveitar para atestar e casar

“Sim, aceito”, acaba de aceitar Simplícia. O casal, depois de saber da descida de 2 cêntimos no gasolina e 1 cêntimo no gasóleo, a partir deste sábado, decidiu atestar, mas também casar.

“Era uma coisa que queríamos há muito tempo e quando percebemos que íamos fazer esta poupança, nem hesitámos”, explica Simplício, que partiu em lua de mel para casa porque não se pode exagerar.

Entretanto, as filas nas bombas de gasolina crescem mas não tem tanto a ver com a afluência, mas sim com o facto de os portugueses aproveitarem para casar logo ali na estação.

“Preparámos uma área para casamentos na área de serviço, os noivos não têm cá os convidados para atirar arroz no fim, mas passam pela máquina da lavagem automática e também é bonito”, explica o proprietário de um posto de abastecimento.

Veja os vestidos das famosas para irem à bomba pôr gasolina

Com a subida dos preços dos combustíveis, ir à bomba passou a ser das actividades mais chiques. Como seria de esperar, os vestidos escolhidos para ir abastecer despertam hoje muita curiosidade.

“Este é um modelo de João Simplício, feito de propósito para era esta vinda à bomba”, explica Rita Simplícia.

“Tentei fazer um contraste com as cores da área de serviço, que neste caso é o laranja, então optei por tons mais escuros e depois uma cauda a fazer lembrar a mangueira”, comenta João Simplício, orgulhoso com esta criação.

Combustíveis estão tão caros que vão começar a ser servidos em garrafa

O preço dos combustíveis não pára de subir e já está a um nível que obriga a engarrafá-los.

“Comprei duas garrafas de Sem Chumbo 95”, explica Simplício, a sair de uma área de serviço. “Bom, na verdade comprei quatro, mas duas são já para a passagem de ano”, acrescenta.

A ideia de uma bomba a encher litros e litros de combustível num depósito passou assim a ser uma coisa do passado.

Orçamento: Contribuintes já sonham com os impostos, taxas ou coimas em que vão gastar o que poupam no IRS

Com a proposta de Orçamento para o próximo ano, há alguns contribuintes que vão poder poupar alguma coisa no IRS. Tal notícia levou-os a sonhar imediatamente com os impostos, taxas ou coimas onde vão gastar a diferença. 

“Querido, já fizeste a simulação?”, perguntava Simplícia, há instantes, ao seu marido. “Já! Dá na boa para pagarmos uma coima à Autoridade Tributária!”, respondeu Simplício. “Oh… já pagámos uma coima à AT com os miúdos o ano passado… agora podíamos fazer, sei lá, uma road trip só nós e estoirar tudo em imposto sobre os combustíveis”, propôs Simplícia. “Também é boa ideia, mas só nós o carro vai leve, não gastamos tanto… e se eu levasse a minha mãe?”, lembrou-se Simplício. “Pela primeira vez, acho que a tua mãe devia vir, sim… mas na mala, ok!?”.

Feitas as contas, o casal chegou à conclusão de que podem ir à Comporta com a sogra e ainda lhes sobre algum do IRS para investir no aumento do IUC do carro.  

A verdade é que o orçamento foi apresentado esta terça-feira e os contribuintes já só fazem contas. Os mais excêntricos tencionam mesmo investir numa devolução que tenham de fazer à Segurança Social. 

IRS passa a ter nove escalões, portanto os benefícios começam agora a partir do décimo

São muitas as novidades no Orçamento de Estado para o próximo ano. Desde logo, em vez de 7 escalões, há agora 9 escalões de IRS.

Assim, os benefícios para os contribuintes começam agora a partir do 10.º escalão, quando até agora só a partir do 8.º escalão havia algum alívio.

Questionado sobre a questão de não existirem contribuintes nestes escalões, porque os escalões não existem, o ministro das Finanças limitou-se a dizer que esse é um problema dos contribuintes.

“Nós colocámos os benefícios todos a partir do 10.º escalão, os contribuintes optam por ter rendimentos noutros escalões, não podem vir pedir responsabilidades ao Governo”, afirmou o titular da pasta, na conferência desta manhã.