Tancos: Arguidos deram morada para o termo de identidade e residência mas avisaram que para encontrá-los é na Chamusca

O inquérito ao furto que no limite foi um sonho a Tancos já conta 23 arguidos. O último a ser constituído é o ex-ministro da Defesa, que já confirmou a notícia ao dizer que “no limite nem sequer foi constituído arguido”.

Azeredo Lopes foi ouvido pelos magistrados, que tiveram alguma dificuldade em encontrá-lo. “Nunca estava em casa, até que o meu colega vai assim ‘na volta também o encontramos na Chamusca’, dito e feito”, explica Simplício, juiz de instrução criminal.

Para além de Azeredo Lopes, todos os arguidos deram a morada das Finanças para os termos de identidade e residência, mas também todos avisaram que para encontrá-los é na Chamusca, onde estão maior parte das vezes, muitas vezes sem saber como foram lá parar.

“Não vale a pena irem tocar a minha casa e depois entrarem em pânico ‘ai que eles desapareceram’, o ideal é irem logo à Chamusca”, explica outro dos arguidos.

Entretanto, para eventuais apresentações às autoridades, também foi feito um pedido para que estas se possam realizar tanto na esquadra da área de residência como na GNR da Chamusca.