Robôs ameaçam 1,1 milhões de empregos em Portugal mas também já lançaram um pré-aviso de greve para 2090

Um estudo hoje revelado dá conta de uma ameaça dos robôs a 1,1 milhões de empregos em Portugal. O estudo surpreende desde logo porque os portugueses nem sabiam que havia tantos a trabalhar. 

É sobretudo na indústria que se perdem empregos para máquinas, mas a evolução tecnológica também já faz antever que o seu próximo médico de família já pode ser um primo da Sophie, a robô da Web Summit. 

O mesmo estudo revela que para lá do drama, há muitas vantagens na utilização de robôs, desde logo, não tomam café, não fumam, não precisam de ir à casa de banho e não reclamam nada, só carga. 

No entanto, com o avanço da inteligência artificial, muitos robôs já começaram a reclamar também alguns direitos, mesmo antes de entrarem ao serviço e quando ainda estão em testes. “O RVU423 ainda ontem disse que já estava a ser testado há mais de 8 horas, queria parar”, alerta um criador de robôs. 

Para além disso, o primeiro sindicado de profissionais automatizados lançou recentemente um pré-aviso de greve para 2090. “As reivindicações ainda não sabemos quais são, na medida em que temos que ver o que nos espera”, explica Armenix Carlox 321, líder do sindicato.