Nunca ninguém pediu boleia: Pessoas estavam só a fazer like junto à estrada e acabavam por ser raptadas

Numa altura em que se discutem alguns símbolos tradicionalmente usados para a comunicação entre pessoas, isto depois de alguns símbolos passarem a ser usados por grupos extremistas, sabe-se agora que nunca ninguém pediu boleia. 

Na verdade, os milhões de pessoas que ao longo da história esticavam o dedo junto à estrada estavam apenas a fazer “like” e acabavam por ser raptadas.

“Tenho muito presente na minha memória, tenho… não gosto de me lembrar, mas cá vai, um dia estava eu com o meu Simplício ali em Grândola, na berma, quando vem de lá um Opel Kadett e eu vou assim ‘olha que bonito’ e fiz um like”, explica Simplícia, “o meu Simplício também fez porque também gosta, nisto o indivíduo pára e manda-nos entrar”. 

Foi há 40 anos mas Simplícia lembra-se bem. “Nós entrámos e ele pergunta ‘vamos até ao Algarve, não é?’ e nós não contrariámos, com medo”, recorda, “quando chegámos ao Algarve pensámos que ele nos ia liquidar, mas lá nos deixou em Tunes”.