Nos governos familiares, não há demissões, quando muito fogem de casa ou saem para comprar cigarros e não voltam

Numa altura em que se discute a legitimidade de governos compostos por familiares, vão-se conhecendo as vantagens deste sistema e uma das maiores é a estabilidade política.

Em governos familiares não há demissões, quando muito alguns governantes fogem de casa, acabando sempre por voltar quando se acaba o dinheiro, ou então saem de casa e não voltam, mas essa saída de fininho tem muito menos impacto político que uma demissão. 

Segundo o Imprensa Falsa conseguiu apurar, apesar da imagem sólida do Governo, há um secretário de Estado que ainda não voltou de fim-de-semana. 

“Ele volta, calma. Já fugiu de casa umas três vezes”, tenta tranquilizar o chefe do Governo, “da primeira vez eu pensava que era a sério, já tinha chamado o primo Augusto, que estava na Alemanha, para o substituir”.