Indivíduo leva sempre uma questão a mais para quando o operador pergunta se há mais alguma questão em que ele possa ajudar

Dava-lhe pena dizer simplesmente que não, "está tudo".

-

Simplício ainda não ligou para a sua companhia de seguros pois não arranjou ainda uma questão suplementar, para quando o operador, no fim da chamada, perguntar se há mais alguma questão em que ele possa ajudar.

- Publicidade -

Recorde-se que os operadores dos ‘call centers’ perguntam sempre, no fim, se há mais alguma questão em que possam ser útil. “E eu dava-me pena dizer que não, maneiras que comecei a levar sempre uma questão extra”, explica Simplício, que começou a guardar questões num saco para estas ocasiões.

“Acontece que se me acabaram as questões, tenho de arranjar mais”, lamenta.

O Imprensa Falsa teve oportunidade de assistir, há dias, a um desses momentos. Simplício estabeleceu contacto com o ACP, por uma questão relacionada com um problema. “Existe mais alguma questão em que eu possa ajudar?”, perguntou a operadora, no fim do telefonema.

“Existe, sim senhora. Muito obrigado por perguntar. Ora bem, quantas horas são agora em Brasília?”, perguntou então Simplício. “Cinco menos um quarto”, respondeu a operadora, visivelmente emocionada.

“Já estamos à espera do não. Passamos o dia a ouvir que ‘não’, ‘está tudo’, ‘era só isto’, por isso fiquei muito comovida quando o senhor me pediu para lhe dizer as horas em Brasília”, confessa Simplícia.