Guarda-chuva foi só para disfarçar: Chuva não se atreve a cair em cima de Putin

[the_ad id=”10494″] Como se não bastasse a Rússia ter apenas um guarda-chuva, o mesmo foi usado na única pessoa sobre quem a chuva não se atreve a cair, mesmo que seja uma tromba de água.

Na Final do campeonato do mundo, durante a cerimónia de entrega da taça, começou a chover com intensidade, tendo sido alcançado o guarda-chuva que, depois de aberto, protegeu Valdimir Putin.

Segundo José Simplício, especialista do Imprensa Falsa para assuntos russos, “apesar de a chuva não se atrever a cair em cima de Putin, o mundo desconfiaria se ficasse tudo molhado à sua volta, menos ele, e foi por isso que o Kremlin fez aquele número”.

Entretanto, lá começaram a aparecer mais guarda-chuvas para os presidentes da FIFA, da França e da Croácia, isto numa altura em que já pareciam uns pintos. Como se conseguiu fazer chegar guarda-chuvas tão depressa à Rússia é que ninguém sabe, mas testemunhas dizem ter visto o presidente português a sair a correr de Cascais com uma mão cheia de sombrinhas.

[the_ad id=”13302″]