Greve: Não queriam furos mas agora são os próprios portugueses à procura de petróleo na costa

Os portugueses estavam maioritariamente contra a prospecção de petróleo na costa portuguesa, mas devido à ameaça de greve dos motoristas de matérias perigosas são os próprios que estão a espetar à maluca, em busca do ouro negro. 

Em vez das tradicionais pranchas ou dos flamingos cor-de-rosa, muitas famílias levaram este ano poderosas brocas para a praia. 

“Simplicinho, o menino quer vir fazer uma construção na areia como nunca fez? Então venha, traga o gerador que o pai leva a broca”, afirmava já esta manhã, na praia, um indivíduo. 

“Mais força , Simplicinho, vamos, já estamos nos 200 metros, estou a ver qualquer coisa, vamos”, continuava, “ora bolas, é tinta de um choco, mas vamos continuar, vá, gerador em full throttle”.