Estudo da Fundação Simplício dos Santos conclui que para a sustentabilidade da segurança social são precisos mais papa-reformas

Um estudo publicado esta terça-feira pela Fundação Simplício dos Santos conclui que para a sustentabilidade da segurança social não é preciso aumentar a idade da reforma, basta subsidiar a compra de veículos papa-reformas.

“Não temos dúvidas, analisados todos os dados, concluímos que um subsídio aos papa-reformas é a única forma de garantir a sustentabilidade da segurança social e até eventualmente vir a lucrar”, pode ler-se no estudo, que sugere que o subsídio devia chegar para cobrir a totalidade do investimento.

“Ou seja, o papa-reformas devia ficar a zero euros”, escrevem os investigadores da Fundação Simplício dos Santos, uma instituição ligada à família Simplício dos Santos, que detém a maioria das vendas de melões à beira da estrada.

“Na verdade, já não é só melões, acabámos de avançar para as cerejas, com a abertura das primeiras dez Toyotas que estão em 5 estradas nacionais”, acrescenta Pedro Simplício dos Santos, administrador do Grupo Juvenal Rodrigues.