Depois dos mísseis da Coreia do Norte, pernil de porco de Portugal é a maior ameaça à segurança internacional

[the_ad id=”10494″] O programa português de pernil de porco representa neste momento a segunda maior ameaça à segurança internacional, segundo a Organização das Nações Unidas. Só um pequeno embargo deste produto à Venezuela, nesta altura das festas, criou uma grande tensão na região.

Esta quinta-feira, as maiores potências apelarem à calma, com a China a pedir a Portugal para libertar o pernil para a Venezuela. Também a Rússia preferia uma solução pacífica, embora lembre que se for para dar molho também não deixa de ser uma boa solução, porque “o russos” apreciam uma boa briga.

Para alguns especialistas em geopolítica, a ameaça de Portugal com o pernil já é maior do que a da Coreia com os mísseis intercontinentais.

[the_ad id=”10494″] “O maluco da Coreia mete medo mas vamos lá ver, uma coisa é um maluco dizer que manda um míssil, outra coisa, muito mais assustadora, é os outros malucos dizerem que não mandam o pernil”, afirma Simplício Rogeiro, especialista em geopicardias.

Até ao fecho desta notícia, Portugal mantinha-se intransigente e garantia que não há pernil para ninguém. As bolsas estão em queda.