Milagre das golas: Padeiro-adjunto deixou o Governo para ser canonizado depois de ter transformado o pão em golas

A demissão do adjunto do Secretário de Estado da Protecção Civil parecia estar relacionada com o caso das golas inflamáveis e está mesmo. No entanto, os motivos para a saída não se prendem com o escândalo, mas com um convite da Santa Sé para o agora adjunto demissionário ser canonizado. 

Em causa está aquilo a que a Igreja já chama o “milagre das golas”. “Exitem provas contundentes de que o senhor levava pão quando, de repente, levava golas sensibilizadoras”, explica o cardeal Simplício. 

Entretanto, o ex-adjunto também já confirmou o convite. “Chegou-me um contacto da Santa Sé e eu ainda pensei que eles quisessem que eu recomendasse umas ‘firmas’ para eles fazerem as batinas, mas quando disseram que era um convite para santo eu pensei que era a gozar e mandei-os para um local que, enfim, não se manda ninguém, mas eles perdoaram, claro”, explica. 

Por aceitar o convite para santo, o antigo padeiro que era agora técnico da Protecção Civil foi obrigado a abandonar o executivo por causa das incompatibilidades. “Incompatibilidades aqui é que não, tenham lá paciência”, terá solicitado o chefe do Governo.