HBO vai estrear minissérie “Quarteira” sobre maré vermelha de microalgas no Algarve

São cinco episódios em que se explica o que se passou no Algarve, com uma maré de vermelha de microalgas a interditar os banhos. Recorde-se que interditar banhos é uma catástrofe de proporções inimagináveis.

Como se não bastasse, também não se recomenda o consumo de mariscos e peixes capturados naquela região, devido ao elevado nível de toxinas.

No primeiro episódio da série, emitido esta sexta-feira, é possível ver tudo calmo, da ilha de Faro a Vilamoura, mas de repente começa a vir uma maré vermelha, enorme, silenciosa.

“Isto ainda são as comemorações do 37, crl”, afirma Simplício, numa praia em Quarteira, mas não é disso que se trata. Este indivíduo ingeriu entretanto mexilhão e transformou-se em poucos minutos, ele próprio, numa alga.

“Simplício! O que vai ser de nós, agora, contigo dinoflagelado! Socorro, o meu marido virou plâncton”, gritava Simplícia, mas uma bióloga marinha que já estava no local a fazer testes explicou-lhe como deve cuidar da alga.

“Mas o meu marido vai ter de estar sempre numa tacinha com água?”, quis saber Simplícia, ainda incrédula, “não poderá ser com cerveja? Porque ele com água vai ficar fulo, olhe, ainda arma uma algazarra… ai desculpe, que isto não é hora para estar a fazer brincadeiras”.

Entretanto, num gesto que está a causar incómodo nas redes sociais, muitas pessoas visitam aquela região do Algarve para tirar selfies com a maré vermelha.

“Não há respeito, ninguém perguntou à alga se queria ser exposta nas redes sociais, o PAN havia de ver isto”, defende Mary Bunda, autora do blog A Bunda Nem Veste Nada, que acabou por também tirar uma selfie no local. “Se toda a gente tira…”, explica na legenda de uma foto em que aparece com uma microalga na nalga.