Financiamento da campanha: Cavaco encomenda 200 kg de bolo rei para não conseguir responder às suspeitas do Ministério Público

O ex-presidente da República esteve esta manhã numa pastelaria para encomendar 200 kg de bolo rei. “Olhe que o tempo está assim mas não é Natal, senhor presidente”, afirmou Simplício, da confeitaria Doce Docinho.

“Antes fosse esse o meu problema, senhor Simplício”, limitou-se a responder Cavaco. “Bolas, já falei demais, dê-me um bolo qualquer para eu meter na boca, senhor Simplício, pode ser esse mil folhas, vamos, rápido”, solicitou e não conseguiu dizer mais nada por causa do mil folhas.

Recorde-se que o financiamento da campanha de 2011 de Cavaco está a ser investigado pelo Ministério Público, que terá encontrado ligações ao Banco Espírito Santo, embora os portugueses não acreditem em tal possibilidade, pois seria a primeira vez.

Perante isto, o antigo Chefe de Estado teve de recorrer à táctica do bolo rei, que passa por introduzir fatias inteiras na boca, ficando impossibilitado de falar, mesmo que pretendesse.

“Hoje em dia utiliza-se mais a táctica do “não me lembro”, “não tenho memória”, porque se entende que embucha menos, para além de que esteticamente é mais agradável à vista. Mas Cavaco é um clássico”, explica Simplício, editor de política do Imprensa Falsa. “A única diferença é que hoje em dia o bolo é sem glúten, ainda pode meter mais, portanto”, conclui.