Dijsselbloem voltou e diz agora que os portugueses gastam tudo em raspadinhas: Portugueses ficaram em silêncio e voltaram ao que estavam a fazer

Depois de toda a polémica em torno das suas declarações, o presidente do Eurogrupo voltou à carga e agora diz que os portugueses gastam tudo em raspadinhas. Perante estas críticas, os portugueses ficaram em silêncio e voltaram ao que estavam a fazer.

[the_ad id=”10494″] “Dê-me lá duas das aranhas da sorte”, pediu há momentos Simplício, no quiosque. “Também não era preciso o homem ser tão indelicado… olhe, tem dois euros, dê-me mais duas, mas agora quero trevos”, continuou.

Entretanto, o primeiro-ministro e o presidente da República também retiraram o pedido de demissão de Dijsselbloem. “Podia ter dito logo raspadinhas, que se poupava toda esta maçada”, afirmou mesmo o Chefe de Estado, reconhecendo que vai tudo em raspadinhas. “Dê-me cinco daquelas da árvore dos afectos”, pediu então Marcelo, que também joga.