Depois de França, Portugal também quis exibir o seu primeiro homem voador mas acabou por mandar o primeiro português à lua

Esta é daquelas histórias que não se consegue perceber se é triste ou feliz. Depois de França exibir um homem voador, nas celebrações da Tomada da Bastilha, Portugal não quis ficar atrás e também quis exibir essa tecnologia. 

No entanto, à semelhança do que aconteceu há uns anos com um drone da Marinha que também fez um voo picado das mãos de um oficial directamente para o mar, o homem voador português não funcionou devido a um problema nos propulsores. 

“Não é que os propulsores tenham falhado, antes pelo contrário, até funcionaram bem demais”, explica o Tenente-General Simplício. 

Funcionaram tão bem que acabou por ser enviado o primeiro português à lua. “Não devíamos ter anunciado que era um homem voador, pois agora dizíamos que era isto que queríamos fazer”, lamenta Simplício. 

Da Lua, o cabo Simplício já comunicou, lamentando o sucedido. “Estou bem, mas não contava e tinha coisas combinadas para o fim-de-semana”, transmitiu graças a equipamentos lá deixados pelos norte-americanos.