Aperto de mão de Marcelo a chefes de Estado estrangeiros é considerado agressão e só não retaliam porque Portugal tem 2 submarinos

-

Marcelo leva sempre consigo um ortopedista e oferece ajuda imediata.

Agora é que foi. O aperto de mão de Marcelo a chefes de Estado estrangeiros acaba de ser considerado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas uma agressão clara ao outro país.

“O Presidente da República de Portugal primeiro puxa para si o homólogo, depois afasta-o, depois puxa-o outra vez para si, e é aí que começa a agitá-lo para cima e para baixo, com golpes duríssimos”, relata uma fonte da ONU que não quer dar o nome porque é o engenheiro Guterres.

Recorde-se que esta agressão já se verificou em diversas ocasiões, contra diversos países. O Imprensa Falsa sabe que até à data não houve retaliação contra Portugal porque o país possui dois submarinos, mesmo que nem sempre peguem.

“Mas quando não pegam é das baterias”, garante Simplício, do Alfeite.

“Enfim, os dois submarinos estão perfeitamente operacionais mesmo quando não estão operacionais, na medida em que aí funcionam como instrumento portanto dissuasor das intenções do inimigo”, conclui o Chef de Estado-Maior da Armada, Almirante Simplício Fragatinha.

“Até porque podemos sempre accionar a buzina, que já mete respeito”, acrescenta o Almirante. “Quando o problema não é a bateria, senhor Almirante”, interrompe Simplício, que acaba de ser levado para a Sagres, que está a fazer uma viagem de circum-navegação, portanto Simplício só volta daqui a uns meses.

Apoie o Imprensa Falsa

Saiba aqui como apoiar o IF a prosseguir a nobre missão de desinformar com rigor. É uma dúvida que assola muitos leitores. Chegou a resposta.