TAP oferece-se para levar turistas da Thomas Cook mas talvez cheguem lá mais depressa se esperarem pela recuperação financeira da Thomas Cook

A TAP ofereceu-se esta segunda-feira para levar os turistas retidos em Portugal por causa da falência da Thomas Cook.

No entanto, os turistas recusaram porque é provável que cheguem a casa mais depressa se esperarem pela recuperação financeira da Thomas Cook.

“Ou mesmo tirar um brevet e comprar um avião”, admite outro turista, “porque diz que o brevet agora é em 3 anos”.

Apesar da ingratidão, a TAP não levou a mal a resposta e aproveitou para perguntar se a Thomas Cook também pode ficar com os seus prejuízos. “Perdido por 100, perdido por 1000, Thomas…”, terá afirmado a companhia aérea nacional.